quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Conto de foda: Segredos da Madrugada

NÃO LEIA ESTE CONTO SE VOCÊ FOR MENOR DE 18 ANOS!!!



23h. Camila bate na porta do quarto de Carolina que responde um simples “pode entrar”...  Carolina já estava deitada e embaixo do edredom, a luz ainda estava acesa e ela mexia no celular, mas o coloca no criado mudo logo que Camila entra...
-To atrapalhando? Quer que eu saia?
-Não! Não! Nem pensar... Só está frio, aí deitei... E como estava sem sono comecei a jogar no celular...
-Hmm... Entendi...
-Mas que foi, irmãzinha? Aconteceu alguma coisa?
-Não... Só tava sem sono... Aí... Não sei... Melhor eu ir pro meu quarto...
Enquanto Camila fazia o movimento de se levantar, Carolina segura na não da irmã e a puxa de volta...
-Não! Fica... Você nunca atrapalha... Já faz tempo que você está estranha comigo... Antes a gente era tão próxima... O que ta acontecendo? Arranjou um namoradinho e não quer me contar?
Carolina disse em tom de brincadeira, mas Camila pareceu brava, e puxou com força sua mão da mão da Irmã.
-Não tenho namoradinho nenhum!
-Calma... Eu só estava brincando...
Carolina tinha 18 anos, olhos castanhos e doces, to tipo estabanada, que fala alto e sempre faz piada fora de hora. Ela já tinha corpo de mulher... Logo que fez 18 anos, começou a fazer sua primeira tatuagem, que ainda estava incompleta... Era uma fada, com cerca de 15 cm de altura, que ela fazia no lado direito inferior das costas... A tatuagem já estava quase completa...
Ela e a Camila tinham quase a mesma altura, mas as semelhanças físicas basicamente paravam por ai. Camila tinha os olhos esverdeados, enigmáticos, mas enérgicos. Tinha 17 anos, nasceu 1 anos e 2 meses depois de Carolina... Era bem magrela, seu corpo ainda estava em formação, mas tinha seios grandes, que sempre buscava esconder usando blusas largas. Ela tinha traços bonitos, mas era bem relaxada, em compensação, Carolina só não era mais vaidosa por falta de espaço.
-Cá... Você ta tremendo! Ta muito frio hoje... Deita aqui...
Enquanto falava isso, ela foi mais para o lado da cama e ergueu o edredom. Camila hesitou, suspirou fundo, mas acabou deitando.
Elas deitaram uma de frente para a outra. A respiração de Camila era pesada, e seu olhos, apesar de continuarem astutos e enigmáticos, começavam a apresentar sinais de pânicos, mas sinais sutis demais para serem percebidos por Carolina, que por sua vez entrelaçava suas pernas nas pernas de Camila... Ela começa a passar as mãos no cabelo da irmã e diz:
-Que foi Cacá? – suspira, olha fundo nos olhos dela, e passa a mão do cabelo para o rosto – a gente costumava ser melhores amigas, lembra? Eu te fiz algo?
Camila pega a mão da irmã, leva até sua boca, dá um beijo e diz:
-Não Lila! Você não fez nada de errado... Vamos... Falar de outra coisa... E a tatuagem? Falta muito?
Nisso, Lila levanta da cama num pulo, tira a blusa do pijama e mostra a tatuagem
-Só falta os retoques! Linda não é? Essa fada é a... - Mas interrompe a frase no meio, quase que ela se traiu com as palavras...
-Ela é quem? Não sabia que você tinha se inspirado em alguém...
-Esquece isso... – dizendo isso ela senta na cama ainda sem blusa...
Camila tenta controlar seus pensamento com todas as suas forças... Tenta olhar para os lados... Tenta pensar em outra coisa... Mas inevitavelmente acaba olhando para os seios da irmã... Arredondados, forma e medida perfeitas, mamilos rosados com o biquinho duro... Ela começa a se perder naquela visão... Inconscientemente morde os lábios, o que a faz despertar daquele transe...
Bruscamente ela se levanta dizendo:
-Bom... Tá tarde... Melhor... Melhor eu ir para o meu quarto...
Lila, também num salto, a braça por trás e diz:
-Ahhhh! Pára de ser chata, vai? Dorme comigo essa noite! Vai ser divertido, vai! Ta frio hoje... A gente conversa até dá sono... E você sabe que sou friorenta... Ai a gente dorme abraçadas... Você me esquenta... – o corpo de Camila tremia todo – ta vendo... Você ta tremendo... Volta pra baixo do edredom vai...
Camila queria fugir... Mas... Naquela altura... Fugir pareceria mais suspeito do que ficar... Então, ela se deixa conduzir de volta para cama... Lila deita de frente para ela e volta abraçá-la...
-Você... Não vai se vestir?
-Ahhh... Não gosto de dormir vestida... Só fico de pijama até todo mundo ir dormir... Para evitar problemas... Mas... Prefiro dormir sem roupa...
-MAS HOJE ESTÁ FRIO!
-Eu sei... Hey! Por que você está tão nervosa com isso?
-Nada... Só me preocupo... Não quero te ver doente...
-Relaxa, irmãzinha... Eu durmo sem roupa todas as noites... Eu estou acostumada... Você deveria experimentar... É muito bom... Diria até... Libertador!
-Pra quem tem um corpo maravilhoso igual o seu deve ser fácil... – imediatamente após dizer, Camila se arrepende, mas se começou, melhor continuar – eu não me sinto confortável com meu corpo... Quer dizer...
-Hey! Como assim garota? – enquanto diz isso, Lila dá um beliscão na barriga de Camila – olha pra você! Você é linda...
-Ahhh Lila... Pára... Você ta falando isso só porque é minha irmã...
-Não! Eu to falando isso por que você é linda! – olha profundamente nos olhos da irmã e volta a acariciar seu rosto – perfeita...
A respiração de Camila volta a ficar pesada, quase ofegante... Carolina continua...
-A começar pelos seus olhos... Quando fui fazer a tatuagem, pedir para o tatuador fazer olhos como os seus... – Camila sente o rosto esquentando – e sua boca... – passa a mão nos lábios da irmã, que fica com a respiração ainda mais pesada – aposto como tem um monte de garotos querendo beijar essa sua boca linda...
Bruscamente Camila se vira e deita de barriga para cima...
-Já disse que não tem garoto nenhum! NENHUM! Entendeu? – com tom de irritação.
Mas Carolina não se intimida desta vez, levanta um pouco o dorso, e se inclina na direção da outra.
-Claro que tem... Se você não fica com ninguém, é porque você não quer...
Camila, que até então estava com os olhos virados, olhando para um tênis jogado num canto qualquer, olha profundamente nos olhos de Lila...
-Eu nunca beijei ninguém... – ela morde os lábios... A situação havia se tornado tão envolvente que já não havia escapatória – me ensina? Quer dizer... Você é minha irmã, quer dizer... Acho que não teria problema... Tipo... Não... Seria maldade...
Mas toda aquela explicação sem sentido foi calada por um beijo de Carolina... Um beijo que no começo era um mero encosto de lábios, o que já foi o suficiente para fazer o coração de Camila bater mais acelerado do que jamais havida batido... Logo em seguida, começaram movimentos suaves... Era indescritível a sensação daqueles lábios quentes, úmidos e carnudos massageando suavemente os seus... A respiração de Camila se torna a cada instante mais pesada... Levemente os lábios foram se abrindo, e as línguas que a princípio se encostavam curiosas, passaram a duelar intensamente...
Um pouco assustada com aquele misto de sensações tão intensas, Camila interrompe o beijo dizendo:
-Lila... a gente... A gente não ta fazendo nada de errado, não é? Você... Você ta só me ensinando... Ensinando para eu fazer com o garotos, não é?
-Uhum... – e a resposta, que foi quase um gemido, foi seguida por outro beijo, mais intenso que o primeiro...
Ela passou uma das pernas por cima do quadril de Camila, e se deitou por cima dela... Colocou uma das mãos por dentro da blusa da irmã e começou a acariciar seus seios... Da boca, os beijos partiram para o pescoço e orelha, e quando chegou lá começaram os sussuros “Você é perfeita... Te quero... Por que você esconde esse corpo tão lindo?...”
Camila não sabia mais o que pensar... Ou o que sentir... Decide interromper as investidas as irmã...
-Pára... Pára um pouco...
-Que foi?
-Lila – elas se olham profundamente nos olhos – Não... Não é justo eu te enganar... Eu... Eu te amo...  
Lila sorri
-Eu também te amo, irmãzinha...
Camila com lágrimas nos olhos...
-Não! Não assim! Eu te amo! Eu... Eu sou apaixonada por você... Há muito tempo... E... É em você que penso todas as noites antes de dormir... E nos meus delírios... Eu me toco desejando seu corpo... Sussurando seu nome baixinho... Eu nunca... Nunca! Quis ninguém... Porque eu sempre fui sua... E eu não posso te pedir para sentir o mesmo... Viver isso comigo... Ninguém aceitaria – a essa altura ela já chorava copiosamente - ninguém entenderia... Ninguém nem tentaria entender! – Segurando carinhosamente o rosto da irmã – Mas eu te amo... E é você que vou amar o resto da vida... E... Eu imagino que o único motivo no universo para eu ter nascido sua irmã... É... Porque eu não aguentaria viver um minuto se quer da minha vida sem você...
Lila lhe dá um beijo terno... Mas apaixonado... E por fim, responde:
-Eu te amo, irmãzinha... Você é a fada dos meus sonhos... Eu sei que te amaria independente de quem você fosse... O que tenho com você é muito mais do que físico... Você não é só minha irmã de sangue... Você é minha irmã de alma... Minha alma gêmea... E eu não sei como será daqui pra frente... Mas sendo com você... Por mim tudo bem... – Camila sorri ainda entre lágrimas – Só vamos esquecer tudo isso agora... A tanto tempo eu te quero... A tanto tempo eu te espero... Eu também sempre esperei por este dia... E... Agora que te tenho nos meus braços... Não vou mais te larga! NUNCA MAIS!
Elas voltam a se beijar, ainda mais intensamente... E Entre beijos e suspiros, Lila solta um “faz amor comigo?”, ao ouvir isto, Camila suspira longamente, e mais do que nunca se entrega: “sou sua”...
Aquela foi a primeira... Primeira de muitas noites... Começo de uma vida... Ninguém nunca soube... Ninguém achava muito estranho duas irmãs que preferiam continuar morando juntas... Elas sempre tinham bons amigos para se fingirem de “namorados” e acobertarem... E elas tinham sua vida normal, mas sua felicidade estava ali... Naquele segredo muito bem guardado, num quarto que sempre valia mais que o mundo inteiro... Porque num mundo de tantas máscaras e hipocrisia, ninguém seria capaz de entender ou mesmo aceitar um amor tão puro, simplesmente por ser diferente daquilo que toda a loucura chama de “normal”.

Fim


26 comentários:

  1. Momento top de sapatonice: tava ouvindo o cd novo de ANA CAROLINA, quando inventei de ler esse conto. haiuehaiuehaiua

    ResponderExcluir
  2. hahahhahahahahahahahahahaa! Ficou fofo, né? Coloquei o limite de idade pelo tema... Sabe-se lá...

    ResponderExcluir
  3. depois de ler esse texto fico a me perguntar, isso eh uma historia real ou como diz o titulo somente um conto?

    ResponderExcluir
  4. Ahhhhh Lila... você sabe que é real...

    ResponderExcluir
  5. hahahahahahahaha....não fui eu que comentei!!!

    ResponderExcluir
  6. Só eu e vc sabemos que de "conto" só tem o nome...tenso!!!

    ResponderExcluir
  7. Que tal vc fala sobre "o poder das mãos"num próximo post,eu acho um tema muitooooo bom(fica a dica)bjsss

    ResponderExcluir
  8. hauhauahauha! falei do "poder das mãos", é claro,amor... Se você quer que eu continue o blog, eu to com algumas ideias de postagem... Desculpa... Pensei que era você... Sei lá... Você sempre comentava como "anônimo", e só vc e seu sabemos de certas coisas...

    ResponderExcluir
  9. Mandou muito bem,se essa lila for sua musa inspiradora,eu preciso de uma lila dessa na minha vida!!!

    ResponderExcluir
  10. Ela é minha musa inspiradora sim... Escrevi mais desde que estou com ela (há 4 meses) do que no resto da minha vida toda... Por isso, qdo ela terminou comigo eu pensei em largar o blog...

    ResponderExcluir
  11. Todos os crente gosta do conto, mas não falam hha! Mas eu falo, ficou bonitinho. ^^

    ResponderExcluir
  12. Claro... todos crente gosta de uma caso lésbico incestuoso! hauhauahauhauhauahuahauha

    ResponderExcluir
  13. o prazer do proibido eleva o prazer³
    Quem dera não tivesse lido isso, essas coisas sempre me fazem sonhar com o mundo que não conheço e que busco mas que dele só vejo a sombra...

    ResponderExcluir
  14. isso foi um elogio ou uma crítica???

    ResponderExcluir
  15. Muito bom, adoorei o "conto".! *-*
    O amor é o que há de mais mágico que existe..

    ResponderExcluir
  16. Manda muito bem,vou virar fregues.

    ResponderExcluir
  17. Olha camila, NINGUÉM liga pra limites de idade em contos, quer dizer, eu tenho bem menos que 18 anos e li. Parabéns pelo conto XD

    ResponderExcluir
  18. Só coloquei pra depois não dizerem que não avisei...

    ResponderExcluir
  19. Fiquei um pouco perdida ao ler o 'conto'. Ela é mesmo sua irmã, quer dizer, biologicamente ou só uma maneira carinhosa de chamá-la? De qualquer modo, muito bom tal conto ! :D

    ResponderExcluir
  20. HAUHAUAHAUHAUAHUAHAUA

    Não... odeio minha irmã biológica

    ta.. não odeio, só antipatiso profundamente com ela...

    ResponderExcluir
  21. Essa do conto e a lila tb?

    ResponderExcluir
  22. Sim... sempre ela... só ela... de todas as formas possíveis e imagináveis, sempre foi ela... só com ela eu tenho um final feliz

    ResponderExcluir