segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Chek list

Patrícia? ok
Signo de água? ok
9 de Julho? ok
História terrivelmente complicada, com peripécias e reviravoltar que até Deus duvida? ok


Vamos nessa, né?

domingo, 22 de janeiro de 2012

Hacktivismo - Um breve relato histórico.

Um texto mega-gigante, é que não é da minha autoria (peguei no grupo "Anonymus São Paulo", do Facebook, autor: Alan Moore). Para quem gosta de informática, internet, novos desafios mentais ou tem dúvida do que seja um "hacker", eu recomendo! É uma ótima leitura.

A intenção deste documento é a de esclarecer ao leigo, ao ativista e ao interessado em cybercultura, uma definição clássica e um breve relato histórico do termo por muitos incompreendido ou temido: o hacker. O artigo original foi escrito em meados de 1996 por alguém que pessoalmente respeito bastante desde os tempos de BBS, e que contribuiu efetivamente ao aperfeiçoamento do conceito de software livre. Espero que a leitura deste seja esclarecedora e objetiva, ressaltando ainda, que alguns dos grupos ou links citados no decorrer do texto já não existem mais.

originally writen by Eric S. Raymond - 1996

Como se Tornar um Hacker

Porque esse documento?

Como editor do Jargon File, freqüentemente recebo pedidos por email de entusiasmados iniciantes, perguntando (de fato) "como eu posso aprender a ser um grande hacker?". Estranhamente, parece que não existem FAQs ou documentos na Web que se refiram a essa importante questão, então aqui está o meu.

O que é um hacker?

O Jargon File contém um monte de definições do termo "hacker", a maioria deles tendo a ver com aptidão técnica e um prazer em resolver problemas e superar limites. Se você quer saber como se tornar um hacker, entretanto, apenas duas são realmente relevantes.

Existe uma comunidade, uma cultura compartilhada, de programadores experts e gurus de rede cuja história remonta a decadas atrás, desde os primeiros minicomputadores de tempo compartilhado e os primeiros experimentos na ARPAnet. Os membros dessa cultura deram origem ao termo "hacker". Hackers construíram a Internet. Hackers fizeram do sistema operacional Unix o que ele é hoje. Hackers mantém a Usenet. Hackers fazem a World Wide Web funcionar. Se você é parte desta cultura, se você contribuiu a ela e outras pessoas o chamam de hacker, você é um hacker.

A mentalidade hacker não é confinada a esta cultura do hacker-de-software. Há pessoas que aplicam a atitude hacker em outras coisas, como eletrônica ou música - na verdade, você pode encontrá-la nos níveis mais altos de qualquer ciência ou arte. Hackers de software reconhecem esses espíritos aparentados de outros lugares e podem chamá-los de "hackers" também -- e alguns alegam que a natureza hacker é realmente independente da mídia particular em que o hacker trabalha. Mas no restante deste documento, nos concentraremos nas habilidades e dos hackers de software, e nas tradições da cultura compartilhada que deu origem ao termo 'hacker'.

Existe outro grupo de pessoas que se dizem hackers, mas não o são. São pessoas que se divertem invadindo computadores e fraudando o sistema telefônico. Hackers de verdade chamam essas pessoas de "crackers", e não tem nada a ver com eles. Hackers de verdade consideram os crackers preguiçosos, irresponsáveis, e não muito espertos, e alegam que ser capaz de quebrar sistemas de segurança torna alguém hacker tanto quanto fazer ligação direta em carros torna alguém um engenheiro automobilístico. Infelizmente, muitos jornalistas e escritores foram levados a usar, errôneamente, a palavra "hacker" para descrever crackers; isso é muito irritante para os hackers de verdade.

A diferença básica é esta: hackers constróem coisas, crackers as destróem.
Se você quer ser um hacker, continue lendo. Se você quer ser um cracker, vá ler o newsgroup alt.2600 e se prepare para se dar mal depois de descobrir que você não é tão esperto quanto pensa. E isso é tudo que eu digo sobre crackers.

A Atitude Hacker
Hackers resolvem problemas e constróem coisas, e acreditam na liberdade e na ajuda mútua voluntária. Para ser aceito como um hacker, você tem que se comportar de acordo com essa atitude. E para se comportar de acordo com essa atitude, você tem que realmente acreditar nessa atitude.

Mas se você acha que cultivar a atitude hacker é somente um meio para ganhar aceitação na cultura, está enganado. Tornar-se o tipo de pessoa que acredita nessas coisas é importante para você - para ajudá-lo a aprender e manter-se motivado. Assim como em todas as artes criativas, o modo mais efetivo para se tornar um mestre é imitar a mentalidade dos mestres - não só intelectualmente como emocionalmente também.

Então, se você quer ser um hacker, repita as seguinte coisas até que você acredite nelas:

1. O mundo está repleto de problemas fascinantes esperando para serem resolvidos.
Ser hacker é muito divertido, mas é um tipo de diversão que necessita de muito esforço. Para haver esforço é necessário motivação. Atletas de sucesso retiram sua motivação de uma espécie de prazer físico em trabalhar seus corpos, em tentar ultrapassar seus próprios limites físicos. Analogamente, para ser um hacker você precisa ter uma emoção básica em resolver problemas, afiar suas habilidades e exercitar sua inteligência. Se você não é o tipo de pessoa que se sente assim naturalmente, você precisará se tornar uma para ser um hacker. Senão, você verá sua energia para "hackear" sendo esvaída por distrações como sexo, dinheiro e aprovação social.
(Você também tem que desenvolver uma espécie de fé na sua própria capacidade de aprendizado - crer que, mesmo que você não saiba tudo o que precisa para resolver um problema, se souber uma parte e aprender a partir disso, conseguirá aprender o suficiente para resolver a próxima parte - e assim por diante, até que você termine.)

2. Não se deve resolver o mesmo problema duas vezes.
Mentes criativas são um recurso valioso e limitado. Não devem ser desperdiçadas reinventando a roda quando há tantos problemas novos e fascinantes por aí.
Para se comportar como um hacker, você tem que acreditar que o tempo de pensamento dos outros hackers é precioso -- tanto que é quase um dever moral compartilhar informação, resolver problemas e depois dar as soluções, para que outros hackers possam resolver novos problemas ao invés de ter que se preocupar com os antigos indefinidamente. (Você não tem que acreditar que é obrigado a dar toda a sua produção criativa, ainda que hackers que o fazem sejam os mais respeitados pelos outros hackers. Não é inconsistente com os valores do hacker vender o suficiente da sua produção para mantê-lo alimentado e pagar o aluguel e computadores. Não é inconsistente usar suas habilidades de hacker para sustentar a família ou mesmo ficar rico, contanto que você não esqueça que é um hacker.)

3. Tédio e trabalho repetitivo são nocivos.
Hackers (e pessoas criativas em geral) não podem ficar entediadas ou ter que fazer trabalho repetitivo, porque quando isso acontece significa que eles não estão fazendo o que apenas eles podem fazer -- resolver novos problemas. Esse desperdício prejudica a todos. Portanto, tédio e trabalho repetitivo não são apenas desagradáveis, mas nocivos também.
Para se comportar como um hacker, você tem que acreditar nisso de modo a automatizar as partes chatas tanto quanto possível, não apenas para você como para as outras pessoas (principalmente outros hackers).
(Há uma exceção aparente a isso. Às vezes, hackers fazem coisas que podem parecer repetitivas ou tediosas para um observador, como um exercício de "limpeza mental", ou para adquirir uma habilidade ou ter uma espécie particular de experiência que não seria possível de outro modo. Mas isso é por opção -- ninguém que consiga pensar deve ser forçado ao tédio.

4. Liberdade é uma coisa boa.
Hacker são naturalmente anti-autoritários. Qualquer pessoa que lhe dê ordens pode impedi-lo de resolver qualquer que seja o problema pelo qual você está fascinado -- e, dado o modo em que a mente autoritária funciona, geralmente arranjará alguma desculpa espantosamente idiota isso. Então, a atitude autoritária deve ser combatida onde quer que você a encontre, para que não sufoque a você e a outros hackers.
(Isso não é a mesma coisa que combater toda e qualquer autoridade. Crianças precisam ser orientadas, e criminosos, detidos. Um hacker pode aceitar alguns tipos de autoridade a fim de obter algo que ele quer mais que o tempo que ele gasta seguindo ordens. Mas isso é uma barganha restrita e consciente; não é o tipo de sujeição pessoal que os autoritários querem.)
Pessoas autoritárias prosperam na censura e no segredo. E desconfiam de cooperação voluntária e compartilhamento de informação -- só gostam de "cooperação" que eles possam controlar. Então, para se comportar como um hacker, você tem que desenvolver uma hostilidade instintiva à censura, ao segredo, e ao uso da força ou mentira para compelir adultos responsáveis. E você tem que estar disposto a agir de acordo com esta crença.

5. Atitude não substitui competência.
Para ser um hacker, você tem que desenvolver algumas dessas atitudes. Mas apenas ter uma atitude não fará de você um hacker, assim como não o fará um atleta campeão ou uma estrela de rock. Para se tornar um hacker é necessário inteligência, prática, dedicação, e trabalho duro. Portanto, você tem que aprender a desconfiar de atitude e respeitar todo tipo de competência. Hackers não deixam posers gastar seu tempo, mas eles idolatram competência -- especialmente competência em "hackear", mas competência em qualquer coisa é boa. A competência em habilidades que poucos conseguem dominar é especialmente boa, e competência em habilidades que involvem agudeza mental, perícia e concentração é a melhor.

Se você reverenciar competência, gostará de desenvolvê-la em si mesmo -- o trabalho duro e dedicação se tornará uma espécie de um intenso jogo, ao invés de trabalho repetitivo. E isso é vital para se tornar um hacker.

Habilidades básicas do hacker
A atitude hacker é vital, mas habilidades são ainda mais vitais. Atitude não substitui competência, e há uma certo conjunto de habilidades que você precisa ter antes que um hacker sonhe em lhe chamar de um.
Esse conjunto muda lentamente com o tempo, de acordo com a criação de novas habilidades. Por exemplo, costumava incluir programação em linguagem de máquina, e até recentemente não incluía HTML. Mas agora é certo que inclui o seguinte:

1. Aprenda a programar.
Essa é, claro, a habilidade básica do hacker. Em 1997, a linguagem que você absolutamente precisa aprender é C (apesar de não ser a que você deve aprender primeiro). Mas você não é um hacker e nem mesmo um programador se você souber apenas uma linguagem -- você tem que aprender a pensar sobre problemas de programação de um modo geral, independentemente de qualquer linguagem. Para ser um hacker de verdade, você precisa ter chegado ao ponto de conseguir aprender uma nova linguagem em questão de dias, relacionando o que está no manual ao que você já sabe. Isso significa que você deve aprender várias linguagens bem diferentes.

Além de C, você também deve aprender pelo menos LISP e Perl (e Java está tentando pegar um lugar nessa lista). Além de serem as linguagens mais importantes para hackear, cada uma delas representa abordagens à programaçaão bem diferentes, e todas o educarão em pontos importantes.

Eu nao posso lhe dar instruções completas sobre como aprender a programar aqui -- é uma habilidade complexa. Mas eu posso lhe dizer que livros e cursos também não servirão (muitos, talvez a maioria dos melhores hacker são auto-didatas). O que servirá é (a) ler código e (b) escrever código.

Aprender a programar é como aprender a escrever bem em linguagem natural. A melhor maneira é ler um pouco dos mestres da forma, escrever algumas coisas, ler mais um monte, escrever mais um monte, ler mais um monte, escrever... e repetir até que seu estilo comece a desenvolver o tipo de força e economia que você vê em seus modelos.

Achar bom código para ler costumava ser difícil, porque havia poucos programas grandes disponíveis em código-fonte para que hackers novatos pudessem ler e mexer. Essa situação mudou dramaticamente; open-source software (software com código-fonte aberto), ferramentas de programação, e sistemas operacionais (todos feitos por hackers) estão amplamente disponíveis atualmente.

2. Pegue um dos Unixes livres e aprenda a mexer.
Estou assumindo que você tem um computador pessoal ou tem acesso a um (essas crianças de hoje em dia tem tão facilmente. O passo mais importante que um novato deve dar para adquirir habilidades de hacker é pegar uma cópia do Linux ou de um dos BSD-Unixes, o instalar em um PC, e rodá-lo. Sim, há outros sistemas operacionais no mundo além do Unix. Porém, eles são distribuídos em forma binária -- você não consegue ler o código, e você não consegue modificá-lo. Tentar aprender a "hackear" em DOS, Windows ou MacOS é como tentar aprender a dançar com o corpo engessado.

Além disso, Unix é o sistema operacional da Internet. Embora você possa aprender a usar a Internet sem conhecer Unix, você não pode ser um hacker sem entendê-lo. Por isso, a cultura hacker, atualmente, é fortemente centralizada no Unix. (Não foi sempre assim, e alguns hackers da velha guarda não gostam da situação atual, mas a simbiose entre o Unix e a Internet se tornou tão forte que até mesmo o músculo da Microsoft não parece ser capaz de ameacá-la seriamente.)

Então, pegue um Unix -- eu gosto do Linux, mas existem outros caminhos. Aprenda. Rode. Mexa. Acesse a Internet através dele. Leia o código. Modifique o código. Você terá ferramentas de programação (incluindo C, Lisp e Perl) melhores do qualquer sistema operacional da Microsoft pode sonhar em ter, você se divertirá, e irá absorver mais conhecimento do que perceber, até que você olhará para trás como um mestre hacker.
Para aprender mais sobre Unix, veja The Loginataka.
Para pegar o Linux, veja Where To Get Linux.

3. Aprenda a usar a World Wide Web e escrever em HTML.
A maioria das coisas que a cultura hacker tem construído funciona "invisivelmente", ajudando no funcionamento de fábricas, escritórios e universidades sem nenhum óbvio na vida dos não-hackers. A Web é a grande exceção, o enorme e brilhante brinquedo dos hackers que até mesmo políticos admitem que está mudando o mundo. Por esse motivo (e vários outros também) você precisa a aprender como trabalhar na Web.
Isso não significa apenas aprender a mexer em um browser (qualquer um faz isso), mas aprender a programar em HTML, a linguagem de markup da Web. Se você não sabe programar, escrever em HTML lhe ensinará alguns hábitos mentais que o ajudarão. Então faça uma home page.

Mas apenas ter uma home page não chega nem perto de torná-lo um hacker. A Web está repleta de home pages. A maioria delas é inútil, porcaria sem conteúdo -- porcaria muito bem apresentada, note bem, mas porcaria mesmo assim (mais sobre esse assunto em The HTML Hell Page).
Para valer a pena, sua página deve ter conteúdo -- deve ser interessante e/ou útil para outros hackers. E isso nos leva ao próximo assunto...

Status na Cultura Hacker
Como a maioria das culturas sem economia monetária, a do hacker se baseia em reputação. Você está tentando resolver problemas interessantes, mas quão interessantes eles são, e se suas soluções são realmente boas, é algo que somente seus iguais ou superiores tecnicamente são normalmente capazes de julgar. Conseqüentemente, quando você joga o jogo do hacker, você aprende a marcar pontos principalmente pelo que outros hackers pensam da sua habilidade (por isso você não é hacker até que outros hackers lhe chamem assim). Esse fato é obscurecido pela imagem solitária que se faz do trabalho do hacker; e também por um tabu hacker-cultural que é contra admitir que o ego ou a aprovação externa estão envolvidas na motivação de alguém.

Especificamente, a cultura hacker é o que os antropologistas chamam de cultura de doação. Você ganha status e reputação não por dominar outras pessoas, nem por ser bonito, nem por ter coisas que as pessoas querem, mas sim por doar coisas. Especificamente, por doar seu tempo, sua criatividade, e os resultados de sua habilidade.
Há basicamente cinco tipos de coisas que você pode fazer para ser respeitado por hackers:

1. Escrever open-source software.
O primeiro (o mais central e mais tradicional) é escrever programas que outros hackers achem divertidos ou úteis, e dar o código-fonte para que toda a cultura hacker use.
(Nós costumávamos chamar isto de "free software", mas isso confundia muitas pessoas que não sabiam ao certo o significado de "free". Agora, muitos de nós preferem o termo "open-source" software).
[nota do tradutor: "free" significa tanto "livre" como "gratuito", daí a confusão. O significado que se pretende é "livre".] Os "semi-deuses" mais venerados da cultura hacker são pessoas que escreveram programas grandes, competentes, que encontraram uma grande demanda e os distribuíram para que todos pudessem usar.

2. Ajude a testar e depurar open-source software
Também estão servindo os que depuram open-source software. Neste mundo imperfeito, inevitavelmente passamos a maior parte do tempo de desenvolvimento na fase de depuração. Por isso, qualquer autor de open-source software que pense lhe dirá que bons beta-testers (que saibam descrever sintomas claramente, localizar problemas, tolerar bugs em um lançamento apressado, e estejam dispostos a aplicar algumas rotinas de diagnóstico) valem seu peso em ouro. Até mesmo um desses beta-testers pode fazer a diferença entre uma fase de depuração virar um longo e cansativo pesadelo, ou ser apenas um aborrecimento saudável. Se você é um novato, tente achar um programa sob desenvolvimento em que você esteja interessado e seja um bom beta-tester. Há um progressão natural de ajudar a testar programas para ajudar a depurar e depois ajudar a modificá-los. Você aprenderá muito assim, e criará um bom karma com pessoas que lhe ajudarão depois.

3. Publique informação útil.
Outra boa coisa a se fazer é coletar e filtrar informações úteis e interessantes em páginas da Web ou documentos como FAQs ("Frequently Asked Questions lists", ou listas de perguntas freqüentes), e torne-os disponíveis ao público.
Mantenedores de grandes FAQs técnicos são quase tão respeitados quanto autores de open-source software.

4. Ajude a manter a infra-estrutura funcionando.
A cultura hacker (e o desenvolvimento da Internet, quanto a isso) é mantida por voluntários. Existe muito trabalho sem glamour que precisa ser feito para mantê-la viva -- administrar listas de email, moderar grupos de discussão, manter grandes sites que armazenam software, desenvolver RFCs e outros padrões técnicos.
Pessoas que fazem bem esse tipo de coisa são muito respeitadas, porque todo mundo sabe que esses serviços tomam muito tempo e não são tão divertidos como mexer em código. Fazê-los mostra dedicação.

5. Sirva a cultura hacker em si.
Finalmente, você pode servir e propagar a cultura em si (por exemplo, escrevendo um apurado manual sobre como se tornar um hacker. Você só terá condição de fazer isso depois de ter estado por aí por um certo tempo, e ter se tornado conhecido por uma das primeiras quatro coisas.

A cultura hacker não têm líderes, mas têm seus heróis culturais, historiadores e porta-vozes. Depois de ter passado tempo suficiente nas trincheiras, você pode ser tornar um desses. Cuidado: hackers desconfiam de egos espalhafatosos em seus "chefes tribais", então procurar visivelmente por esse tipo de fama é perigoso. Ao invés de se esforçar pela fama, você tem que de certo modo se posicionar de modo que ela "caia" em você, e então ser modesto e cortês sobre seu status.

A Conexão Hacker/Nerd
Contrariamente ao mito popular, você não tem que ser um nerd para ser um hacker. Ajuda, entretanto, e muitos hackers são de fato nerds. Ser um proscrito social o ajuda a se manter concentrado nas coisas realmente importantes, como pensar e "hackear".
Por isso, muitos hackers adotaram o rótulo "nerd", e até mesmo usam o termo (mais duro) "geek" como um símbolo de orgulho -- é um modo de declarar sua independência de expectativas sociais normais. Veja The Geek Page para discussão extensiva.

Se você consegue se concentrar o suficiente em hackear para ser bom nisso, e ainda ter uma vida, está ótimo. Isso é bem mais fácil hoje do que quando era um novato nos anos 70; atualmente a cultura mainstream é muito mais receptiva a tecno-nerds. Há até mesmo um número crescente de pessoas que percebem que hackers são, freqüentemente, amantes e cônjuges de alta qualidade. Girl's Guide to Geek Guys.
Se hackear o atrai porque você não vive, tudo bem -- pelo menos você não terá problemas para se concentrar. Talvez você consiga uma vida normal depois.

Pontos Sobre Estilo
Para ser um hacker, você tem que entrar na mentalidade hacker. Há algumas coisas que você pode fazer quando não estiver na frente de um computador e que podem ajudar. Não substituem o ato de hackear (nada substitui isso), mas muitos hackers as fazem, e sentem que elas estão ligadas de uma maneira básica com a essência do hacking.

    •    Leia ficção científica. Freqüente convenções de ficção científica (uma boa maneira de encontrar hackers e proto-hackers).
    •    Estude o Zen.. (A disciplina mental parece similar em pontos importantes).
    •    Desenvolva um ouvido analítico para música. Aprenda a apreciar tipos peculiares de música. Aprenda a tocar bem algum instrumento musical, ou a cantar.
    •    Desenvolva sua apreciação de trocadilhos e jogo de palavras.
    •    Aprenda a escrever bem em sua língua nativa. (Um número surpreendente de hackers, incluindo todos os melhores que eu conheço, são bons escritores.)

Quanto mais dessas coisas você já fizer, mais provável que você tenha naturalmente um material hacker. Por que essas coisas em particular não é completamente claro, mas elas são ligadas com uma mistura de habilidades dos lados esquerdo e direito do cérebro que parece ser muito importante (hackers precisam ser capazes de tanto raciocinar logicamente quanto pôr de lado, de uma hora para outra, a lógica aparente do problema).
Finalmente, algumas coisas a não serem feitas.
    •    Não use um nome de usuário ou pseudônimo bobo e grandioso.
    •    Não entre em flame wars ("guerrinhas") na Usenet (ou em qualquer outro lugar).
    •    Não se auto-intitule um "cyberpunk", e não perca seu tempo com alguém que o faça.
    •    Não poste ou escreve email cheio de erros de ortografia e gramática.
A única reputação que você conseguirá fazendo alguma dessas coisas é a de um twit [um chato, geralmente filtrado nos grupos de discussão]. Hackers tem boa memória -- pode levar anos antes que você se reabilite o suficiente para ser aceito.

Outros Recursos
O Loginataka tem algumas coisas a dizer sobre o treinamento e a atitude adequados a um hacker de Unix.
Eu também escrevi A Brief History Of Hackerdom.
Peter Seebach mantém um excelente Hacker FAQ para gerentes que não sabem como lidar com hackers.
Eu escrevi um documento, The Cathedral and the Bazaar ("A Catedral e o Bazar"), que explica muito sobre como o Linux e as culturas de open-source software funcionam.

Perguntas Freqüentes
Q: Você me ensina como "hackear"?
Desde que publiquei essa página, recebi vários pedidos por semana de pessoas querendo que eu "ensinasse tudo sobre hacking". Infelizmente, eu não tenho tempo nem energia para isso; meus próprios projetos hackers tomam 110% do meu tempo.
Mesmo se eu fizesse, hacking é uma atitude e uma habilidade na qual você tem que basicamente ser auto-didata. Você verá que, embora hackers de verdade queiram lhe ajudar, eles não o respeitarão se você pedir "mastigado" tudo que eles sabem.
Aprenda algumas coisas primeiro. Mostre que você está tentando, que você é capaz de aprender sozinho. Depois faça perguntas aos hackers que encontrar.

Q: Onde eu posso encontrar hackers de verdade para conversar?
Bem, não no IRC, com certeza - lá na maioria das vezes existem flamers e crackers. A melhor maneira é encontrar um grupo de usuários em local de Unix ou Linux.


sábado, 21 de janeiro de 2012

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Mentir é normal

****** diz:
ahhh
no trampooo temos q ser um roubo
temos q dar bem com todos
fingir q o mundo eh maravilhoso
ainda mais vc q trabalha com o publico
 
Camila Strongren diz:
mas isso é mentira
 
****** diz:
tem q ter um sorriso no rosto o tempo todo passar carisma e paracer simpaticaaa para agradar
huahuahau eu sei mais eh assim q temos q ser nessa porra de mundo capitalistaaa
 
Camila Strongren diz: 
pq?
 
****** diz:
pq temos q ser assim???
 
Camila Strongren diz: 
é
 
****** diz:
eitaaa mais isso vc ja sabe oq pq
e vc falow o pq bem no seu blog
 
Camila Strongren diz: 
justamente
só é assim pq as pessoas se submetem
 
****** diz:
se levarmos nossos problemas para o trampo eles acham q nao rendemos a mesma coisa q soh reclamamos q nao estamos la para reclamar e sim para poduzir
se ficamos doente e nao podemos ir nao estamos produzindooo
e por causa dessas coisas somos substitudos
Fim da conversa no bate-papo
 
 
 
Não entendo, do fundo do coração não entendo porque as pessoas se submetem, porque elas simplesmente não fazem algo do tipo "hey! eu existo! eu sou um ser humano único e não uma expectativa que você criou dentro da sua cabeça"


Parecer ser

(e sim, eu sei que a conversa está cheia de erros e abreviações, mas é uma conversa gigante de msn, não vou ficar arrumando, se esforce e leia, se tiver interesse)

Camila Strongren diz:
(...)
ela é o tipo de pessoa que vc gosta e admira, pq ela vive no msm mundo que vc, que é o mundo "social" do "Parecer ser"...
eu sou uma marginalizada nesse mundo, pq eu brinco de "ser" e não de "parecer ser"... e bom, as regras do jogo estão claras
refleti mto hoje
e quero compartilhar com vc algumas conclusões, acho que isso vai te ajudar de modo geral, pelo menos ACHO...
as pessoas são jogadas num mundo cruel, cheio de dor, miséria, enfim, coisas terríveis, então elas TÊM que acreditar que tudo isso tem um propósito (e talvez tenha) pq se elas não acreditarem, elas enlouquecem, elas vão cometer suicídio em massa
as crianças efetivamente SÃO, elas são autenticas, crianças gritam, falam seu filtro e oq pensam, batem em alguém que "rouba" ao delas, questionam, e então os adultos pouco a pouco adestram, deswculpa! educam as crianças para que elas se adequem
ensinam elas a terem medo... "bicho papão vem pegar", "papai do céu castiga", "vou te deixar aí sozinho"
enfim, são passados uma séries de "valores" usando como base o medo, pare ensinar não a criança a ser boa, ou honesta, mas a FINGIR SER... pq se uma criança faz algo errado e assume, ela é punida mesmo assim, se ela FINGE que não fez nada e não é pega, ela não é punida, mas se FINGE e é pega, é punida em dobro... somos adestrados para sermos bom mentirosos...
e para os "adaptarmos socialmente...
ou seja, lembro quando disse que as pessoas precisam acreditar em algo para não enlouquecerem? como os seres humanos são incapazes de procurar a verdade com honestidade, eles CRIAM "VERDADES", que transformam em dogmas e LEIS, e dizem "isso é certo, isso é errado" e se questionados "por quê?" a resposta é simples "sempre foi assim" ou "Deus disse"...  falar em nome Deus é uma forma de dar autoridade para algo que não tem lógica, sentido, nem cabimento, como uma forma de explicar a miséria, a dor, a morte, pq aí vc se livra das responsabilidades, não é sua culpa, é culpa de "Deus"...
isso torna tudo muito simples
as pessoas vivem em algo que gosto de chamar de "pactos sociais"
ou seja, pactos velados do que pode e do que não pode, e isso é definido pelas classes dominantes, os mais fortes... e eles que definem oq é moda, qual é o padrão de beleza, qual a conduta correta
antigamente, os imperadores achavam que "Deus" devia ser chamado de Júpiter, e que ser gay era a coisa certa. Hoje, os nossos "donos" acham que "Deus" deve ser chamado de Jesus, e que ser hetero é a coisa certa, são só alguns exemplos
e isso dá pras pessoas uma falsa sensação de segurança, uma sensação de quem o mundo faz sentido e que há uma ordem, portanto, qualquer um que saia fora desta ordem, se torna imediatamente uma ameaça e deve ser marginalizado
mas para que haja essas ordem, as pessoas precisam FINGIR SER, pq não existe essa homogeneidade ideal que as pessoas gostam de pensar que exista... então as pessoas têm um lado mau, sádico, pervertido, cético, mas tudo isso e outras coisas, têm que serem jogadas para debaixo do tapete em prol de um SUPOSTO "bem social"
mas isso é ilusório, pq com isso vc cria estigmas e preconceitos...
me diga qtas vezes vc não ouviu frases como "ele é bonito, apesar de ser negro, pq ele tem o nariz e lábiso finos", oq a pessoa disse foi "esse negro é bonito porque não parece negro", ou não ouviu "acho que gays tem que ser igual meu amigo fulaninho, pq ele não dá pinta", ou seja "gay bom é gay que parece hetero"
 "aquele cara é pobre, mas tem classe", ou seja, "é pobre, mas não parece pobre"
enfim, estamos no mundo da aparência e da dissimulação, no qual vc pode "ser vc msm" com pouquissimas pessoas, o problema é que as pessoas se acostumam tanto a fingir ser, que esquecem de quem realmente são, e mais que isso!
estamos tão acostumados a lidar com fantasma, que quando alguém tira a máscara, nos chocamos tanto que recuamos, então as pessoas passam a fingir até para os mais íntimos: pais, irmãos, amigos, namorados
então meu caso é duplamente grave, pq não só eu não me enquadro pro não parecer ser, mas mostrar queme u sou sem dissimulação (oq as pessoas sempre chamrão de "falta de bom senso", afinal, bom senso é esquecer de quem se é, e não me diga que isso é uma mudança para o meu bem, pq na minah mente, mau é só aquilo que causa mau pra alguém, isso não meras regras sociais)
e além disso, eu lido com púlbico, ou seja, não posso desagradar o senso comum... pq é assim o jogo...
e tanto é só um fingir ser e não "uma mudança para o meu bem" que hj a própria mag disse abertamente "não importa o que vc seja, desde que passando daquela árvore você seja a cara do cna"
não estou criticando a postura da ***, afinal, ela é só uma peça sendo manipulada nessa tabuleiro cruel chamado "vida"
 a questão é que ironias a parte, nada disso é para o meu bem, para o seu bem, ou para o bem da ****, mas "para o bem da escola"
 e o que a **** fez hoje, não foi para o bem da escola, ela foi oportunista, conheço pessoas... e conheço bem aquele olhar sádico e sorriso meio de lado que ela tentava conter enquanto falava tudo na minha cara sem nem gagejar

******* diz:
 COMO assim opóretunista? o q ela ganha te ferrando?

Camila Strongren  diz:
ela não é burra, e se eu li a ***, ela tbm, meus defeitos, não nego, se é que posso chamar de defeitos e não "traço de personalidade", mas na conversa que ela teve com a ***, ela deve ter suposto muito bem tudo que eu mesma supus
vc precisa entender de uma vez por todas, ********, que ninguém está interessado na verdade, mas naquilo que quer ouvir
a*** é uma pessoa bem obvia, para falar a vdd, é muito fácil saber o que ela admira e o que ela repudia, seja por jogos sociais ou não, até pq a *** AMA o jogo social
e não a culpo, muita gente gosta, e é até divertido jogar, às vezes...
(...)
eu sou tudo aquilo que ***** disse, não nego
e ela jamais seria burra de inventar uma história que qualquer um pudesse desmentir, não é
mas de certa forma, apesar dela ter falado só fato, ela conseguiu me transformar numa caricatura
nem consegui levar aquilo como uma crítica, pq não foi uma crítica, nem construtiva nem destrutiva, foi meramente uma caricatura
e é muito simples, quando vc faz uma caricatura de alguém, ninguém pode desmentir, pq é baseado em fatos, mas vc ridiculariza, e nesse caso particularmente, desautoriza e desabona
agora qualquer coisa que eu fale da *****, bem ou mal, verdade ou mentira, será levado como "defensiva" ou "vingancinha"
se eu elogiar, to tentando de "redimir", se eu falar mal é "despeito" hauhauahuahauh to fodida e mal paga
tanto é verdade, que se ela quisesse de fato resolver, não teria ido falar com a *** sem antes ter vindo falar comigo
concorda que se ela teve coragem de dizer tudo na minha cara qdo a mag pediu, o problema dela não era conversar comigo?
e quanto a ***, anyway
ela sempre será o tipo de pessoa que vc idolatra, pq ela PARECE SER
(...)
enfim... não sou boba... aliás, tudo isso é um belo teatro... TUDO... 
e lógico que vejo como funciono nisso tudo, dupla função, aliás
função 1: sendo má, bem ou mal, aos trancos e barrancos, eu faço o carro andar... na base da porrada, mas faço
função 2: sendo má, eu sou a vilã, então o "papel" para as "boas pessoas" ficam livres
mas acho que como já tenho uma personalidade muito dura, as ordens da *** me fizeram passar dos limites
aliás, acho não, tenho ctz
então acho que me tornei um elemento de risco... então não tenho ctz q ela queira me manter
pq deixei de ser funcional para me tornar um risco: ela precisa de um impeto mais controlado...
(...)
não gosto de jogar
pq um jogo implica que alguém perde
na vdd, mtos perdem e pouquissimos ganham...
alguns empatam...
eu prefiro me retirar do jogo social o máximo possível
não sei se Deus existe, mas se ele existe, sei que ele não deve gostar mto dos ricos...
se há justiça no mundo, ele não há de gostar
e Jesus disse "mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos Céus" e disse também enquanto revirava as bancadas dos comerciantes do templo "transformastes a casa de meu Pai em um covil de ladrões"
e dizia para os sacerdotes que cobravam dinheiro do povo, ou para os que diziam que tudo era pecado: "fariseus e hipócritas"
e também disse:
"eis que vos dou um novo mandamento: que vos ameis uns aos outros assim como eu amo o Pai e o Pai me ama",
estou cada vez mais cansda de pactos.. pactos se faz com o diabo
(...)



Talvez só eu esteja cansa de pactos sociais... Aliás, cada vez mais acho que pacto sociais são piores que pactos com o próprio diabo (caso ele exista, é claro)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Estupra, mas não mata

Pensando bem, nas nossa sociedade, estupro ou qualquer tipo de violência sexual, é socialmente aceitável.

Pense comigo:

Se uma garota está andando de roupa curta e é violentada, a culpa é dela, afinal ela estava provocante. quer dizer, a culpa não é do nosso "macho proguiador" que não pode ver um par de pernas sem ficar com seu "membro viril" em riste e pronto para liberar seu excesso de testosterona! Obviamente uma pessoa não pode se vestir como bem quiser (até porque, nosso país quase não é quente, então mulheres que usam roupas curtas só querem sensualizar)

Se uma mulher bebe, já é motivo para ser chamada de vadia, afinal, dormir com uma mulher bêbada é totalmente aceitável, pois ninguém mandou beber... Claro que se um homem ficaqr bêbado e tiver o seu orifício anal penetrado, também será normal, afinal, qualquer pessoa que beba, está dizendo implicitamente "faça o que quiser com o meu corpo, eu te dou concessão total e absoluta"

Elegemos um governador que dizia "Estupra, mas não mata". As pessoas acham comum os pedreiros, ou qualquer passante mexerem com mulheres, até de forma desrespeitosa... Mas desde que não mexa com a MINHA MULHER (ou mãe, irmã, filha), porque... É tudo vadia! Se usa decote é vadia, se usa maquiagem é vadia, se rebola é vadia, se vai para cama com um desconhecido é vadia...

Ou seja, nós mulheres não temos o direito de decidirmos de decidir sobre nosso próprio corpo: não podemos decidir nossas roupas, nossa forma de andar, a rua onde vamos, o quanto bebemos, pois ao decidir isso, implicitamente estamos dizendo "agora você pode decidir por mim"

Isso não é motivo de piada... As pessoas transformam tudo em piada, como uma forma de fugir da responsabilidade... Afinal, se não há um problema, se não é tão grave assim, não preciso me preocupar... Não precisa se preocupar até não acontecer com a sua filha, sua mãe, sua namorada... Bom... Continue mesmo achando que nada disso (estupro, currupção, desemprego, violência, etc) não tem nada a ver com você, que é pura chatice de quem não tem mais nada para falar... Continue, até a vítima ser você... Aí infelizmente, não haverá mais ninguém para te ajudar a reivindicar, porque essa grande massa que diz "não é nada demais" terá vencido... E as vítimas (finalmente transformadas nos "verdadeiros responsáveis"), não terão mais direito à voz

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Fim das Ilusões

Camila Strongren diz
um dia vou ser rica mto rica

carla m. pereira diz
isso

Camila Strongren diz
e vou comprar mtas doses de amor verdadeiro

carla m. pereira diz
djoiasjasoidjasoidjasiodj

Camila Strongren diz
honestamente queria saber oq tem de errado comigo
mas...
não deu
e como dinheiro apaga todos os defeitos
ta td certo

carla m. pereira diz
aí ta o que tem de errado com vc (mas só acho)

Camila Strongren diz
tipo?

carla m. pereira diz
ah deixe quieto

Camila Strongren diz
não
explica
to curiosa
quero saber

carla m. pereira diz
vc vai discordar, mas dinheiro nao compra td

Camila Strongren diz
então eu to fodida
já que ngm consegue me gostar como sou
vc acaba de matar o restinho das minhas ilusões
é...
vou ter que trocar as doeses de amor verdadeiro por doses de vodka
qse a msm coisa

carla m. pereira diz
hsauidhasduihasiudhasiuhdiaushduahsd

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Violência contra animais

Muitas pessoas falam que "já está enchendo o saco" essa história de ficar defendendo os animais porque temos problemas mais graves... Em primeiro lugar, acho que uma coisa não anula a outra... Por exemplo, o fato de haverem países mais pobres, não torna a situação atual do Brasil aceitável... Um erro não torna outro erro menor... É só uma lástima mais lastimável que outra lástima...

Então deixe-me explicar meu ponto:


Violência contra animais me irrita! Você não precisa amar animais! Não precisa nem mesmo gostar deles... Mas cometer um ato violento contra alguém que não tem a mesma força, a mesma técnica e, principalmente, que não tem a mesma maldade que você, e portanto não tem condições viáveis de se denfender de forma adequada... Para mim é o ato mais baixo que alguém pode cometer...

Humanos também são animais! A diferença de nós para o resto... É que os outros são bem mais evoluídos...


Vou explicar melhor... Um dia eu estava esperando o ônibus para ir para meu curso de desenho, e tinha um poodle atravessando a rua e um motoqueiro vindo... O motoqueiro vio o cachorro e em vez de desacelerar para o cachorrinho terminar, ele acelerou porque TINHA que passar antes (ele morreria se perdesse 10 segundos!). O cachorrinho se assustou com o barulho da moto e também correu...

Ele foi atropelado, literalmente rodou na roda da moto. o motoqueiro se desequilibrou um pouco, mas nem olhou para trás e foi embora... Tinha algumas pessoas para entrarem no serviço e foram lá de curiosas, mas ninguém fez nada, eu fui ver as pulsações do cachorrinho e vi que ele ainda estava vivo, mas ele tinha convulcionado e soltado muito sangue pela boca... Ele estava no meio da rua, rouxe ele para calçada, pedi para alguém chamar um veterinário, qualquer coisa! Eu pagava, mas ninguém fez nada... Apareceu uma mulher desesperada, com o celular na mão, mas quando ela descobriu que não era o cachorro dela (ela estava noc elular perguntando pra mãe se a cachorrinha dela estava em casa), ela simplesmente virou as costas e foi embora...

Poucos minutos depois o cachorrinho morreu com eu passando a mão na cabeça dele... E eu chorei o dia inteiro... E todas as vezes que passava na rua e via a marca de sangue eu chorava... E quando eu contava porque estava triste, algumas pessoas entendiam, algumas diziam "é só uma cachorro"...

Algumas semanas depois, eu estava atravessando na faixa, semáforo aberto para pedreste, mas era uma avenida larga e no meio da traqvessia, o fraol fechou... Um motoqueiro que estava parado me viu atravessando e em vez de esperar eu chegar na calçada, quis sair antes que eu chegasse na frente dele (eu estava há menos de 1 mestro), só que como o farol já tinha fechado pra mim, eu corri... E sim, fui atropelada.. jogada a mais de 2 metros de distância e me ralei inteira...

O motoqueiro desaquilibrou um pouco, mas foi embora sem olhar pra trás...

sábado, 7 de janeiro de 2012

Sobre meu sumiço...

É... Algumas pessoas têm perguntado porque parei de escrever...

Bem... Não tenho nada para dizer... É só dor... E vazio... Quando não tem nada de bom para dizer... Melhor ficar quieta... Não acho que vá voltar tão cedo...

Eu cansei de viver... Não se trata nem de voltade de morrer... Porque, para você ter vontade de morrer, é porque você acha que a vida vale algo... E por isso quer jogá-la fora... Não sobrou nada... Nada...

Talvez isso seja um adeus...

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Como a mídia brasileira sufoca a liberdade de expressão

17 minutos muito bem investidos... Sem mais




Atitude do dia

Tome uma atitude DIPLOMÁTICA

É possível que uma situação delicada esteja pedindo uma atitude diplomática. Isso implica suavidade e tato para evitar atritos e irritabilidade. O gesto preciso e gentil, a palavra correta podem aliviar situações de estresse no ambiente em que vivemos ou no interior de nossas consciências.

Sugestões para uma atitude Diplomática



  • Afirme seu valor, porém sem exigir reconhecimento.
  • Recuse-se elegantemente a aceitar qualquer coisa que humilhe ou deprecie a si e aos outros.
  • Cuide para que pensamentos negativos e emocionalizados não interfiram na sua conexão com a Divindade Interior.
  • Procure falar pausada e claramente tomando consciência do valor de suas palavras.


Sonho bizarro

Sonhei que tinha aceitado sair com uma mina que deu em cima de mim pelo face há uns 5 meses atrás... Aí quando saímos descobri que a Lila era prima dela... E a gente se encontrou e eu fiquei pensando "cara... olha eu errada, pensando que a mina era uma mentirosa, mas ela existia mesmo..."

Aí saimos da casa... E no quintal tinha entrada para um casa de show e tinha um palco enorme no qual a Katy Perry estava ensaiando para um show... Aí fui conversar com ela... E ela gamou em mim... Sí eu pedi para ela ficar esperando, porque queria me resolver com a Lila...

E aí eu tentava ficar com ela (com a Lila) e pra ela nunca tava bom, nunca era o lugar certo... E eu insitia, e ela não queria...

E isso a Katy ficou super bad porque eu não quis ficar com ela...

Olha... Acho que nem Freud explica isso... Porque não sei o que é mais absurdo! Se é a ideia da Lila ser real ou de eu me negar a pegar a Katy Perry!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Atitude do dia

Agora chega de beber igual uma vaca louca, de dormir em horários aleatórios e de viver a vida desregradamente...

De volta a rotina:

Tome uma atitude APRECIATIVA

A consciência se expande e vibra em todos os seres quando olhamos para o mundo com olhos que sabem apreciar. O valor da apreciação consiste em saber que estamos sutilmente conectados, e a mais leve onda de apreciação é suficiente para elevar os espíritos e mudar uma situação desafiante. A atitude apreciativa é a expressão autêntica da nossa capacidade de gerar energias positivas a todo instante, reconhecendo nas pessoas e nas situações o seu verdadeiro valor.

Sugestões para uma atitude Apreciativa:



  • Pratique a apreciação afirmando os pontos positivos e criativos nas pessoas e situações da vida.
  • Abrace pelo menos 4 pessoas hoje. Diga-lhes o que aprecia nelas.
  • Reconheça internamente e afirme o que mais aprecia em si mesmo.
  • Surpreenda uma pessoa escrevendo-lhe uma nota de apreciação. (Por exemplo: "Querida..., obrigada por você ser tão cuidadosa e bem-humorada." Ou "Aprecio profundamente a sua crescente capacidade para amar.")


HAHAHAHAHA

Marianna diz
e aí
me pega e depois nem liga no dia seguinte



HAUHAUAHUAHAUHAUHAUAHAUHAUAHUAHAUHAUHAUAHUAHA
Melhor ler isso que ser cega!

domingo, 1 de janeiro de 2012

ow raça!





Escorpinianos são uma raça tão legal, que eles querem até matar uns aos outros! hauahuahuahauahuahauha

Mas então... Se fosse uma só... Até dava.. O problema que eu se fosse ir à desforra com todos minhas ex escorpinianas, ia ter que matar umas 40! Ia virar uma serial killer, dando má fama aos pobre dos arianos (tão calminhos, coitados)

Então talvez a pergunta seja "se eu detesto tanto escorpinianos, porque continuo ficando com eles?"

Se você fez essa pergunta, de boa.. VÉI! Você nunca ficou com uma escorpiniano na vida!

Escorpinianos são igual DORGAS, MANOLO RIARIARIA!

Sério... Você sabe que faz mal, sabe que vai foder sua vida, sabe que vai se arrepender... Mas na hora é TÃO BOM... Você esquece de tudo... Tenta se convencer de que "não é como dizem...", "comigo é diferente", "não estou me apegando (estou usando com moderação)"... Aí depois você fica todo fodido, estrupiado e pensa "cara... não devia ter feito aquilo..."

Lógica camiliana

Se você fala que você mora em outra cidade/estado/país, mas que você "ocasionalmente" virá parar justamente onde eu moro e ocasionalmente quer me ver, seu argumentos podem ser ótimos, mas o que eu vou ouvir é

"BLABLABLABLABLA EU QUERO SEU CORPO NU"


Se você tem o hábito de chamar todo mundo de "lindo", "linda", "gata", "gato" e pans... E me chama assim, principalmente logo de cara... Pode ser uma hábito seu de infância... mas o que eu vou ouvir é

"BLABLABLABLABLA EU QUERO SEU CORPO NU... SUA LINDA!"


HAUHAUAHAUHAUAHUAHAUHAUAHUAAHAUHA

Como eu sou babaca! Pelo menos tenho uma vida linda e feliz na qual 90% da população mundial Me quer! hauhauahauhauahuahauhauhaa

Pesquisa peculiar

Pessoas do signo de Áries cometem mais crimes

Pesquisa da polícia canadense mostrou a divisão do zodíaco entre os presos em 2011.

A polícia da municipalidade de Chatham-Ken, no Canadá, divulgou um ranking no mínimo curioso. O serviço dividiu as 1986 pessoas presas na área em 2011 por signos, e descobriu que os arianos são maioria entre aqueles que cometeram crimes neste ano. Em segundo lugar estão os librianos, seguidos pelos virginianos. Os sagitarianos foram os que saíram menos da linha.
Confira a divisão de signos entre os 1986 presos:
  • Aquario: 142
  • Peixes: 169
  • Áries: 203
  • Touro: 146
  • Gêmeos: 159
  • Câncer: 147
  • Leão: 177
  • Virgem: 183
  • Libra: 189
  • Escorpião: 166
  • Sagitário: 139
  • Capricórnio: 166

Mas... Na minha modesta opinião... 
Eu acho que isso é mentira! E sabem por quê???

Pra mim, escorpinianos comentem mais crimes, mas eles são TÃO FILHOS DUMA PUTA! que nunca são pegos!

Arianos só são mais cabeça quente... quando eles perdem a calma, fazem merda e nem sabem porque... Escorpinianos são dissimulados, e agem cempre de forma premeditada...

FIKADIKA

P.S.: "Renata Fonseca dia: bom, eles colocam a culpa nos arianos...."


ARMADILHA!

Confesso: EU RI!



Resumindo 2011

É... eu ando com preguiça de escrever de verdade, só estou fazendo postagens curtas e nonsense... Mas vamos fazer um resumo muito breve de 2011

Comecei o ano com um coração partido devido aos meus próprios erros... E coloquei uma armadura como forma de me defender... Errei muito, mas no fundo, continuava sendo aquela garota romântica e iludida que acreditava que eventualmente tudo daria certo...

Então """conheci""" a Lila... Que foi me despindo da minha armadura... E quando eu estava vulnerável ela me deu um tiro no peito... Só para destruir toda e qualquer ilusão...

Mas eu ainda estava agonizante, lutando... Tentando me recuperar... Mas sem forças para isso...

Então! Apareceu a Reissi, como um milagre! Segurou minha mão, olhou nos meus olhos e disse "Calma... eu estou aqui"... E eu cheia de esperanças respondi "Então você veio me salvar?", então ela tirou uma calibre 12 da bolsa, deu um tiro na cara e disse "NÃO! SÓ VIM ESTRAGAR O VELÓRIO MESMO!"


HAUHAUAHAUHAUAHUAHAUHAUHA


Graças a Deus (se existisse um! hauahuahuaha) a pessoa que eu era morreu... Morreu com todas as ilusões... Acho que agora finalmente poderia viver de verdade sabendo como as coisas realmente são...

Prazer e poder! São as duas únicas forças que movem o mundo... O resto são mero pretextos que as pessoas usam para obter prazer ou ter poder sobre os outros...

Almoço....

Aí na hora do almoço, o assuntomorbidamente vai parar em morte e eu digo

-Se eu morrer quero ser cremada... só o que peço...

E minha prima pergunta:

-E quer que jogo as cinzas onde?
-Qualquer lugar com água, pode ser até na privada, desde que tenha água... Mas se eu morrer não quero ninguém chorando por mim...

E minha madrinha completa:

-Ahhhhhh relaxa! Ninguém ia chorar por você mesmo!

E tem um acesso histérico de riso!

Tão bom começar o ano ouvindo isso! ^^

De cortar os pulsos

Depois de uma noite frenética na The Week (e bota frenética nisso!)...

Acordo meio de ressaca, breja na mão (só pra começar o ano bem), jogando paciência pelo pc, e ouvindo música na ordem aleatória do media player... Mas eu tenho mais de 6 mil músicas no meu pc, mas hoje a aleatoriedade está contra mim! Só música de cortar os pulso!

Enquanto isso, na cozinha, minha mãe cantando "NOSSA! NOSSA! ASSIM VOCÊ ME MATA!" hauahuahauahuahauhauahahuahauha

Mas cara... eu juro que tento ser uma vadia completamente sem coração, mas fala sério... Teatro Mágico me quebra as pernas...



Primeiro sonho do ano...

Fizia tempo, MUITO TEMPO que eu não sonhava... Então sonhei esta noite... Me lembro vagamente...

Era noite... Eu tava numa praça, então começava a tocar no coreto a música "Ainda Bem" da Marisa Monte, e a garota que estava comigo levantava, me dava a mão, e me tirava para dança... e a gente dançou abraçadas com ela sussurando no meu ouvido a letra... "Ainda bem que agora encontrei você... Eu realmente não sei, o que eu fiz pra merecer... Você..."

Que bosta! Com tanta coisa boa pra sonhar, olha o que eu sonho! Podia ter sonhado que ganhei na mega da virada, né?